Por Lilian Guedes (ADEPARÁ)
13/10/2021 - 09:45

"A troca de conhecimentos fortalece ações de defesa vegetal entre as Agências frente ao programa estadual de controle da ferrugem asiática da soja"

 

Entre os dias 4 a 8 de outubro, os agentes fiscais da Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará) receberam o grupo de Auditores Fiscais Agropecuários do Núcleo de Defesa Vegetal da Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária do Estado do Amapá (Diagro) para a realização de um intercâmbio que teve como objetivo fortalecer as ações de defesa vegetal entre as agências quanto aos aspectos relacionados ao programa estadual de controle da ferrugem asiática da soja e ao programa fitossanitário da cultura da soja.

Por meio da Gerência de Programas de Pragas de Importância Econômica da Adepará, o grupo de auditores fiscais agropecuários da  Diagro conheceu os trabalhos desenvolvidos pela Agência durante a fiscalização do vazio sanitário - que é uma das estratégias de controle da ferrugem asiática da soja, para implantação do programa no Amapá.

*Para Maria Alice Thomaz Lisboa, responsável técnica do Programa Estadual de Controle da Ferrugem Asiática da Soja e gerente de Programas de Pragas de Importância Econômica da Adepará* a visita foi uma excelente oportunidade para partilhar formas de atuação das Agências de Defesa Agropecuária. 

“Esse intercâmbio de conhecimentos foi muito importante, pois foi uma oportunidade ímpar para a troca de experiências. Além das atividades de fiscalização, apresentamos como são elaboradas e executadas nossas ações de defesa vegetal, e os auditores do Amapá puderam abordar de que forma desenvolvem alguns de seus programas, o que fez com que confirmássemos o fato de que estamos atuando no caminho certo, por meio das nossas ações”, finalizou a gerente. 

Também durante a programação, o grupo de auditores e agentes agropecuários participaram de uma reunião técnica para a apresentação do programa fitossanitário da cultura da soja, cujo está inserido o programa estadual de controle da ferrugem asiática da soja; exposição das normativas referentes ao programa e troca de experiências sobre a atuação de ambos os órgãos em relação ao desenvolvimento do programa nacional de ferrugem asiática, além de acompanharem as ações do vazio sanitário na região com maior produção do grão do Estado, localizado nos municípios de Paragominas e Ulianópolis.

Ainda durante a visita técnica, os representantes da Diagro conheceram a estrutura de grandes propriedades para o cultivo de soja e realizaram fiscalizações conjuntas para desenvolvimento de habilidades práticas e efetivas em relação a fiscalização do vazio sanitário. 

Na ocasião, foi divulgado a portaria de nº 6239/2021, da Adepará, publicado no dia 1° de outubro que trata do vazio sanitário da soja para o ano corrente. 

“O estabelecimento de cooperações técnicas entre agências de defesa é de extrema importância para concretização da defesa vegetal no país, neste caso especifico, da região norte”, finalizou, Maria Alice Thomaz Lisboa, responsável técnica do Programa Estadual de Controle da Ferrugem Asiática da Soja.

 

Ferrugem asiática da soja - A doença é causada pelo fungo Phakopsora pachyrhizi, cujo principal dano é a desfolha precoce, impedindo a completa formação dos grãos, com conseqüente redução da produtividade.

O nível de dano que a doença pode ocasionar depende do momento em que ela incide na cultura, das condições climáticas favoráveis à sua multiplicação. A doença foi diagnosticada pela primeira vez no Brasil em 2001.

É competência da Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará) fiscalizar o cumprimento dos períodos do vazio sanitário e do calendário de semeadura.

Veja Também