Sobre acessibilidade

Áreas

22/10/2019 - 12:15

 

A Agência de Defesa Agropecuária do Estado (Adepará) realiza até sexta-feira (25) treinamento para cadastro de morcegos hematófagos, nos municípios de Redenção e Santa Maria das Barreiras, no sudeste do Pará. Esses mamíferos voadores alimentam-se exclusivamente de sangue e transmitem a raiva a outros animais e aos seres humanos.

Dezenas de médicos veterinários e técnicos da Adepará participam da programação, que começou na segunda-feira (21) e reúne profissionais dos municípios de Redenção, Xinguara e Tucumã, no Pará, mais servidores da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Tocantins (Adapec).O treinamento é uma das ações, da Adepará, contidas no Programa Estadual de Controle da Raiva dos Herbívoros, que tem como coordenadora a médica veterinária Arlinéa Rodrigues.

Servidora da Adepará, Arlinéa participou, entre os dias 14 e 18 de outubro últimos, nos municípios de Paulo Afonso e Juazeiro, no estado da Bahia, de treinamento para atuação na vigilância epidemiológica da raiva.

A capacitação aconteceu na Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab) e reuniu médicos veterinários dos setores público e privado do Pará, Bahia, Piauí e Sergipe. O treinamento prático foi focado na área de vigilância epidemiológica da raiva, por ser considerada a mais importante zoonose do mundo, devido a seu alto poder letal entre humanos. E também pelo custo elevado de profilaxia (vacinas e soros) e perda de animais na área rural.

A profilaxia utiliza recursos e faz procedimentos preventivos de doenças, como medidas de higiene e cuidados com alimentação. E a zoonose é a doença que pode ser transmitida pelo animal ao ser humano. "O treinamento dos técnicos colabora para o fortalecimento da vigilância, reduzindo as ocorrências e atenuando o impacto na saúde pública, especialmente entre os pequenos produtores rurais”, ressaltou o coordenador do Programa de Controle da Raiva na Bahia, José Neder.