Sobre acessibilidade

Áreas

26/05/2017 - 12:15

A Agência de Defesa Agropecuária do Estado (Adepará) vem reforçando o combate à raiva em todo o Pará, após o controle de casos isolados da doença registrados no município de Bragança, no nordeste paraense. Entre as ações está a captura de morcegos, que é o principal vetor de transmissão da raiva. Essa semana, a atividade foi realizada durante três dias em propriedades rurais de Faro, no oeste do Estado. Ações semelhantes estão ocorrendo em Bragança e Viseu.

A captura tem como objetivo o controle da população de morcegos hematófagos, que podem atacar animais nas propriedades rurais e são os potenciais transmissores da raiva. Além da captura, a equipe da Adepará da unidade de Faro realizou um trabalho de conscientização da população, por meio de ações de educação sanitária. “Os produtores foram orientados a procurar a unidade em caso de ataque de morcegos a bovino s e equinos”, diz a médica veterinária da Agência, Roberta Fulco.

A ação foi realizada em três propriedades rurais de Faro: no dia 1º de março, na propriedade Terra Preta, onde não foi capturado nenhum morcego; no dia 2 de março, na propriedade São Raimundo, onde foram capturados nove morcegos, sendo um coletado para envio para diagnóstico de raiva e em oito foi passada a pasta vampiricida. Após isso, os animais são soltos para o controle das colônias. E na noite desta sexta-feira (3), será feito a última propriedade, Fazenda Farias.

A captura contou com a participação dos servidores Celso Anderson Batista Pereira, agente fiscal agropecuário da Adepará, lotado em Juruti, que é capacitado em Biologia e Controle do Morcego Hematófago, e Joeliton Ribeiro, agente fiscal agropecuário, lotado em Faro, que deu apoio logístico, ajudando na localização das propriedades e apoio nas atividades de campo.

“A ação de captura é de grande importância, pois é ela quem faz a redução das colônias dos morcegos hematófagos, através do uso da pasta vampiricida que é aplicada nas costas dos animais. Depois da captura, 10 % do total de morcegos capturados seguem para realização de pesquisa do vírus da raiva”, explica Roberta.

AÇÃO

A captura de morcegos faz parte da rotina dos técnicos da Agência em todo o Estado. O objetivo é controlar a população de morcegos que, além de atacar animais das propriedades rurais, podem ser potenciais transmissores da raiva. A captura é feita à noite, quando eles saem em busca de alimentos, e a armadilha, uma espécie de rede, é posta na área onde o animal costuma atacar.

As ações fazem parte do Programa Nacional de Controle da Raiva em Herbívoros, executado no Estado pela Adepará.