Sobre acessibilidade

Áreas

15/02/2021 - 21:45

 

Fiscais da Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará) interceptaram e apreenderam veículo que transportava a carcaça de um boi recém abatido de forma clandestina, na noite desta segunda-feira (15), na cidade de Irituia, nordeste paraense. A apreensão ocorreu durante vistoria de rotina no Posto de Fiscalização Agropecuária.

Aos fiscais agropecuários, o proprietário e condutor do veículo alegou ter abatido o animal em sua propriedade rural e confessou que a carne seria vendida em estabelecimento comercial da cidade. Ele foi autuado, pagará multa e teve veículo e carga apreendidos.

O abate de animais fora de estabelecimento registrado no Serviço de Inspeção Municipal (SIM), Serviço de Inspeção Estadual (SIE) ou Serviço de Inspeção Federal (SIF) incorre em crime contra a saúde pública. O combate à clandestinidade é um dos pontos fundamentais do programa de trabalho desenvolvido pela Agência e que resultou na equivalência do SIE à inspeção federal, por meio da certificação Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (SISBI-POA).

Além do transporte inadequado do animal, houve crime pela ausência de inspeção adequada das carcaças e pela inobservância de normas e procedimentos sanitários durante a manipulação do animal, o que ofende a legislação e o direito do consumidor de adquirir e consumir alimentos de qualidade e inócuos.

"O abate clandestino representa um dos mais preocupantes fatores de risco à saúde pública, pela exposição a agentes infecciosos e parasitários, como aqueles que são transmitidos ao homem pelos animais, pela ingestão de alimentos de qualidade sanitária suspeita e pela contaminação do meio ambiente", alerta a gerente do Serviço de Inspeção Estadual da Adepará, Adriele Cardoso.

Ela ressalta ainda que a Adepará desenvolve o trabalho de fiscalização em postos fixos e móveis e que o Serviço de Inspeção Estadual atua para garantir a qualidade e inocuidade dos produtos de origem animal e vegetal que serão oferecidos à população.

Os procedimentos administrativos, multa e apreensão, foram conduzidos pela Agente Fiscal Agropecuária, Maria Eliana. Toda a ação contou com o apoio da equipe de fiscalização que atua no posto de Irituia.