Sobre acessibilidade

Áreas

14/10/2020 - 07:00

Motivos não faltam para a celebração do dia da pecuária, festejado hoje (14) em todo o país. O Pará tem o quarto maior rebanho bovino brasileiro, com 21,8 milhões de cabeças e o primeiro bubalino com 556 mil animais, segundo dados da última campanha de vacinação da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará). Além disso, o Estado caminha para a suspensão da vacina contra febre aftosa, seguindo as diretrizes do Plano Estratégico do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA) no Pará.

Para garantir a sanidade dos animais e a qualidade de seus produtos e subprodutos, a Adepará atua realizando fiscalizações nas propriedades rurais, nas casas agropecuárias, nos trânsitos de animais, nos eventos de aglomerações de animais e na inspeção de alimentos. O objetivo é coibir os trânsitos ilegais de animais e riscos de produtos produzidos clandestinamente. Desta forma a qualidade dos rebanhos aumenta, o que proporciona melhoria de mercado.

Diretor-geral da Adepará, Jamir Macedo, destaca a importância do trabalho desenvolvido pela Agência “A Adepará tem um papel fundamental no desenvolvimento da cadeia pecuária no estado, se fazendo presente em todas as etapas. Suas ações estão pautadas nas diretrizes dos programas sanitários nacionais garantindo a sanidade dos rebanhos”, diz.

O Pará é reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal como estado livre da febre aftosa com vacinação desde 2014 e a Adepará atua agora para que o estado alcance o status de livre da doença sem vacinação.

“A mudança do status vai proporcionar ao estado uma amplitude de comércio ainda maior, pois existem países que exigem do exportador essa condição para que possam importar seus produtos e subprodutos”, explica Joélia Guerra, médica veterinária responsável pelo programa da febre aftosa na Adepará.

Mesmo antes da suspensão da vacinação contra a aftosa, o Pará acumula também o status de principal exportador brasileiro de gado em pé, segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).]

 

Texto: Aycha Nunes / Ascom