Sobre acessibilidade

Áreas

17/10/2020 - 16:00

 

Hoje, 17 de outubro, é comemorado o dia da Agricultura, uma das atividades mais antigas realizadas pela humanidade e que tem grande importância econômica no Pará.

 

Os investimentos no setor somados ao trabalho desenvolvido pela Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará) inseriu o estado no topo da produção nacional de cacau, açaí e dendê, além de ocupar a quarta e quinta posição na produção de coco e banana, respectivamente.

 

Outras culturas, como a da soja, estão surgindo como grandes potenciais para o agronegócio paraense. A cada ano, sobe o número das áreas plantadas com soja, o que pode levar o Pará a ficar entre os quatro primeiros colocados na produção desta cultura.

 

A agricultura do Pará desempenha um papel muito importante na economia brasileira. A exportação de citros é significativa, por ser feita não somente para outros estados, mas para outros países, inclusive para a União Europeia. Em 2017, uma carga de 23 toneladas de limão taiti foi exportada para a Inglaterra. O carregamento partiu de Monte Alegre, município do Baixo Amazonas que é considerado o maior polo produtor de limão do Pará.

 

Gradativamente, o Pará está se tornando referência na produção agrícola, já que o estado tem destaque nacional na pecuária, possuindo o quinto maior rebanho de bovinos, produzindo 900 mil toneladas de carne por ano.

 

Crescimento

Com o crescimento da agricultura, cresce também a responsabilidade da Adepará em garantir a sanidade da produção. É ela que promove a defesa e inspeção vegetal, com realização de cadastros de propriedades, trabalho desenvolvido por meio da Gerência de Inspeção e Classificação Vegetal e Identificação Florestal (GICVF). Além disso, é feito o levantamento e monitoramento de possíveis pragas que possam atingir as culturas, por meio da Gerência de Programas de Pragas Quarentenárias (GPQ).

 

Um dos exemplos da eficiência da atuação da Adepará neste setor é o fato de o Pará possuir status de área livre de cancro cítrico, monilíase do cacaueiro, amarelecimento letal das palmeiras e de pragas que podem atingir as plantações de banana. Levantamentos nas áreas cadastradas na Adepará são realizados para manutenção desses status para prevenir a perca da produção e, consequentemente, prejuízos econômicos. O Fiscal Estadual Agropecuário (FEA) e engenheiro agrônomo da Adepará, Luiz Carlos Guamá, ressalta os benefícios sociais gerados pelo crescimento das lavouras no Estado.

 

"Houve uma verticalização da agricultura que gerou emprego e renda. Além das áreas produtoras disponibilizarem produtos in natura, foram criadas indústrias para obtenção de suco ou para produção de polpa", conclui.