Sobre acessibilidade

Áreas

15/09/2020 - 09:30

 

O vazio sanitário é uma das estratégias adotadas pela Adepará para proteção da lavoura. Nesta etapa, 98 municípios ficam proibidos de cultivar ou implantar o cultivo do grão até o dia 15 de novembro

 

Entre os dias 15 de setembro e 15 de novembro estará em vigor o período de vazio sanitário da soja em 98 munícipios paraenses. Esta será a terceira e última etapa anual da principal estratégia adotada pela Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará) para proteção da lavoura. A primeira etapa teve início no dia 15 de julho e a segunda, no dia 1° de setembro.

"A região oeste do Pará foi a primeira fronteira agrícola (de grãos) do nosso Estado e por muitos anos chegou a figurar como a região mais produtora". Quem conta é o fiscal estadual agropecuário, Paulo Ricardo Alves.

 

VAZIO

 

No Pará, o vazio sanitário ocorre em três períodos distintos entre os meses de julho a novembro, em virtude das diferenças climáticas existentes entre as regiões produtoras. As datas e os municípios que devem seguir a determinação foram divulgados na Portaria da Adepará Número 1.745 de 13 de julho de 2020. O objetivo é proteger a safra de soja da doença conhecida como ferrugem asiática, capaz de inviabilizar até 75% na produção.

“Todos os períodos de vazio sanitário instituídos no Estado foram discutidos com os sojicultores para que, juntamente com a Adepará, possam contribuir no combate dessa praga tão prejudicial à cultura”, detalha Maria Alice Thomaz, responsável técnica do Programa Estadual da Soja.

Segundo Maria Alice, “a defesa sanitária na sojiculturura paraense, segue as diretrizes do Programa Nacional de Controle da Ferrugem Asiática da Soja, assim como as demandas do Programa Estadual Fitossanitário da Cultura da Soja. Dentre as ações desenvolvidas, está o levantamento fitossanitário de pragas na cultura e a fiscalização do vazio sanitário da soja, nos municípios produtores”, explica.

 

MUNICÍPIOS

 

Os municípios incluídos nesta etapa do vazio sanitário são: Alenquer, Belterra, Mojuí dos Campos, Monte Alegre, Prainha, Santarém, Altamira, Anapu, Brasil Novo, Medicilândia, Senador José Porfírio, Uruará, Vitória do Xingu, Placas, Rurópolis, Curuá, Faro, Juruti, Óbidos, Oriximiná, Terra Santa, Almeirim, Porto de Moz, Baião, Breu Branco, Goianésia do Pará, Novo Repartimento, Pacajá, Tucuruí, Capitão Poço, Garrafão do Norte, Nova Esperança do Piriá, Ourém, Bonito, Capanema, Nova Timboteua, Peixe-Boi, Primavera, Quatipuru, Salinópolis, Santarém Novo, São João de Pirabas, Augusto Corrêa, Bragança, Cachoeira do Piriá, Santa Luzia do Pará, Tracuateua, Viseu, Castanhal,Curuçá, Igarapé-Açu, Inhangapi, Irituia, Magalhães Barata, Maracanã, Marapanim, Santa Maria do Pará, São Domingos do Capim, São Francisco do Pará, São João da Ponta, São Miguel do Guamá, Terra Alta, Abaetetuba, Igarapé-Miri, Moju, Tailândia, Cametá, Limoeiro do Ajuru, Mocajuba, Oeiras do Pará, Acará, Barcarena, Benevides, Bujaru, Colares, Concórdia do Pará, Marituba, Santa Bárbara do Pará, Santa Izabel do Pará, Santo Antônio do Tauá, São Caetano de Odivelas, Tomé-Açu, Vigia, Cachoeira do Arari, Muaná, Ponta de Pedras, Salvaterra, Santa Cruz do Arari, Soure, Afuá, Anajás, Bagre, Breves, Chaves, Curralinho, Gurupá, Melgaço, Portel, São Sebastião da Boa Vista.

 

*Texto publicado em: https://www.agenciapara.com.br/noticia/22124