Sobre acessibilidade

Áreas

Empresas produzem quase 16 mil kg de carne de caranguejo em 2016

Ele é gostoso de todos os jeitos: toc-toc, patinhas fritas, refogado com farofa, na moqueca e até em forma de casquinha. Cozido no tucupi, então, nem se fala! Difícil é encontrar alguém que não goste de caranguejo. Crustáceo de carne saborosa, ele é ingrediente certo na culinária, paraense ou não. No estado do Pará, o caranguejo é facilmente encontrado em regiões com áreas de mangue, especialmente na região do Salgado, no nordeste paraense.

Estados registram ferrugem asiática da soja e Pará redobra atenção

O Pará redobrou sua atenção diante dos focos de ferrugem asiática da soja na safra 2016⁄2017 detectados em alguns estados brasileiros. As ocorrências foram registradas em São Paulo, Paraná, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, que faz divisa com o estado paraense.  A ferrugem asiática é causada pelo fungo Phakopsora pachyrhizi é a praga de maior importância da cultura da soja na atualidade, ocasionando redução significativa na produtividade, podendo ocorrer em diferentes períodos vegetativos e reprodutivos da cultura.

Pará mantem alta cobertura vacinal contra a febre aftosa

Em 2016, o Pará se manteve entre os estados brasileiros com maior cobertura vacinal contra a febre aftosa. O Estado atingiu a marca de 98,21%, ultrapassando a meta de 90% exigida pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE). Com o índice vacinal alcançado, o Governo do Estado, por meio da Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará), e o setor produtivo mantêm o seu compromisso com a defesa agropecuária e com a manutenção do rebanho livre da doença, garantindo mercados, segurança alimentar e produtos de qualidade.

Adepará emitiu quase 550 mil guias de trânsito animal em 2016

Quase 550 mil Guias de Trânsito Animal eletrônica (e-GTAs) foram emitidas através do sistema controlado pela Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará), no ano de 2016. Apenas para a finalidade de engorda, cerca de 6,5 milhões de bovídeos (bovinos e bubalinos) foram movimentados dentro do estado do Pará, com mais de 180 mil documentos oficiais emitidos.

Cresce número de estabelecimentos de produtos artesanais no Pará

Considerada uma das principais apostas econômicas do governo, a produção artesanal paraense também possui um importante caráter social, principalmente porque é executada na maioria das vezes por pequenos produtores e agricultores familiares do interior do Estado.

Esse tipo de produção foi regulamentada no Pará em 2015, quando foi publicado o decreto que complementou a regulamentação da Lei nº 7565, de 25 de outubro de 2011, que trata das normas para licenciamento, registro e comercialização de produtos artesanais comestíveis de origem animal e vegetal no Estado.