Sobre acessibilidade

Áreas

Pará reforça ações diante de casos de influenza aviária em outros países

Preocupada com as ocorrências de Influenza Aviária, registradas nos últimos três meses, em 33 países – especialmente o Chile, que divulgou o problema na primeira semana de janeiro –, a Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará) divulgou na sexta-feira (13), nota técnica sobre o assunto. O objetivo é redobrar a atenção, já que a Agência é a responsável pela prevenção e monitoramento da doença no Estado. A Influenza Aviária é uma doença exótica no Brasil, ou seja, nunca houve registro de casos em território brasileiro. 

Pará fortalece a proteção contra praga que atinge palmeiras

Passado um ano desde que foi encontrado um foco da praga Raoiella Indica, mais conhecida como ácaro vermelho, no Pará, o Estado fortaleceu as ações e conseguiu controlar a disseminação da doença. O foco foi encontrado no município de Juruti, região oeste do Estado, em janeiro de 2016.

Empresas produzem quase 16 mil kg de carne de caranguejo em 2016

Ele é gostoso de todos os jeitos: toc-toc, patinhas fritas, refogado com farofa, na moqueca e até em forma de casquinha. Cozido no tucupi, então, nem se fala! Difícil é encontrar alguém que não goste de caranguejo. Crustáceo de carne saborosa, ele é ingrediente certo na culinária, paraense ou não. No estado do Pará, o caranguejo é facilmente encontrado em regiões com áreas de mangue, especialmente na região do Salgado, no nordeste paraense.

Estados registram ferrugem asiática da soja e Pará redobra atenção

O Pará redobrou sua atenção diante dos focos de ferrugem asiática da soja na safra 2016⁄2017 detectados em alguns estados brasileiros. As ocorrências foram registradas em São Paulo, Paraná, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, que faz divisa com o estado paraense.  A ferrugem asiática é causada pelo fungo Phakopsora pachyrhizi é a praga de maior importância da cultura da soja na atualidade, ocasionando redução significativa na produtividade, podendo ocorrer em diferentes períodos vegetativos e reprodutivos da cultura.

Pará mantem alta cobertura vacinal contra a febre aftosa

Em 2016, o Pará se manteve entre os estados brasileiros com maior cobertura vacinal contra a febre aftosa. O Estado atingiu a marca de 98,21%, ultrapassando a meta de 90% exigida pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE). Com o índice vacinal alcançado, o Governo do Estado, por meio da Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará), e o setor produtivo mantêm o seu compromisso com a defesa agropecuária e com a manutenção do rebanho livre da doença, garantindo mercados, segurança alimentar e produtos de qualidade.